Destaques

Passeata realizada pelo Projovem pede segurança no trânsito

O Projovem em parceria com escolas do município realizou nesta terça-feira (26) uma passeata de mobilização pela segurança do trânsito em Juazeirinho, o tema abordado foi “A vida em primeiro lugar”
 A concentração aconteceu às 8h30 na frente da escola estadual Marechal Almeida Barreto, com faixas e panfletos alunos lembraram as vidas perdidas no trânsito, o movimento seguiu pela Rua Siqueira Campos e cortou parte da cidade a gritos e pedidos de “Segurança no Trânsito”.
Uma das metas da gestão da prefeitura municipal de Juazeirinho é a municipalização do Trânsito, o processo está em andamento e proporcionará maior fiscalização a infrações que ocasionam acidentes atendendo assim reivindicações feitas por estes movimentos.  

Juasecom
Learn more »

Major Fabio faz campanha em Juazeirinho

O candidato a governador pelo Partido Republicano da Ordem Social PROS, Major Fabio irá nos próximos dias fazer campanha na cidade de Juazeirinho, o grupo liderado por Antônio Batista (Toca) se reúne no próximo fim de semana para escolher a data.

Informações repassadas com exclusividade apontam que Toca que é secretário de Cultura na gestão atual irá mesmo votar no Major para governo e na Leila para o senado.

“Estamos na luta por essa alternativa em Juazeirinho, vamos votar em Major Fabio para Governador e em Leila para senadora” afirmou um militante do pros, indagado sobre quem o partido irá apoiar para deputado estadual a fonte destacou o diálogo aberto entre o partido e o candidato Dunga Junior que é cunhado de Fred Marinheiro. 

Redação.
Learn more »

Ex-prefeito espalha boatos para prejudicar políticos que não apoiam seu irmão

JUAZEIRINHO - O ex-prefeito, Bevilacqua Matias (2009 - 2012), anda irritado com algumas lideranças políticas que decidiram tomar caminhos diferentes nas eleições de outubro e que não irão votar no seu irmão, Genival Matias (PTdoB), para deputado Estadual.

Como retaliação, Bevilacqua estaria espalhando por todo o município que as lideranças não vão votar em Genival porque teriam recebido dinheiro de outrso candidatos.

São vários os políticos que estão chateados com essa atitude antiética do ex-prefeito e já estão preparando uma contraofensiva.

"Realmente, Bevilacqua anda dizendo por aí que tem políticos que não vão votar no seu irmão porque receberam dinheiro de outros candidatos. R$ 25 mil de um, R$ 30 mil de outro e por aí vai. Porem ele esquece que em 2016 vai ter eleição para prefeito e muitas dessas lideranças podem não lhe apoiar.  Com essa atitude, o ex-prefeito está dando um tiro no próprio pé", afirma um vereador ouvido pelohelenolima.com na manhã deste domingo (24).

"Lamentavelmente, o ex-prefeito está irritado porque nós decidimos não apoiar Genivalzinho este ano e, por isso, vem pregando pelos quatro cantos do município que nós recebenos dinheiro de outros candidatos. Mas ele vai pagar um preço alto por está tentando municipalizar uma eleição que é Estadual. 2016 vem aí e ele vai precisar de apoios, haja vista que vai disputar o cargo de prefeito, aí será muito complicado fechar com essas lideranças que ele está acusando injustamente por todo o município", pontua outra liderança ouvida pela nossa equipe de reportagem.

Heleno Lima. 
Learn more »

Cadete pode romper com grupo da situação

Informações ainda não oficiais apontam que Fernando Cadete uma das principais forças do grupo da situação teria rompido politicamente com o ex-prefeito e líder do grupo Fred Marinheiro. 

Fernando entre "" mostrou força em eleições passadas quando era o chefe da Emater local,mas, nas eleições passadas sem o cargo não conseguiu se reeleger vereador, mesmo assim conseguiu grande participação no governo colocando sua esposa Soraide Cadete com secretaria de educação. 

Sobre o rompimento o principal motivo seria supostamente sido motivado pela não nomeação de Soraide para o cargo no primeiro escalão, haja vista, que ela foi afastada pelo governo provisório de Jonilton Fernandes. 

Redação. 
Learn more »

Em uma semana, número de açudes com menos de 5% sobe de 21 para 24 na Paraíba

Em várias regiões do estado os problemas com abastecimento já são sentidos por moradores, que queixam-se da falta de aviso prévio para corte no fornecimento

Portal Correio. 

Os baixos níveis nos reservatórios do estado da Paraíba, tem prejudicado a população de várias cidades e, em algumas delas, não existe mais água saindo das torneiras há cerca de um mês. Em entrevista ao programa '27 Segundos' da RCTV, canal 27 da Net digital, o presidente da Cagepa, Deusdete Queiroga Filho, confirmou que o colapso é uma realidade em vários municípios das regiões do Brejo e do Curimataú. O número de açudes com menos de 5% da capacidade saiu de 21 para 24 no estado.


No município de São João do Rio do Peixe, no Sertão paraibano, a 469 km da capital João Pessoa, a falta de água atinge mais os bairros que se encontram na parte alta da cidade. Os problemas no abastecimento são sentidos em horários aleatórios do dia. Falta água sem aviso prévio aos moradores.


“Estão acontecendo problemas, mas a região do Centro da cidade não sente tanto a falta no abastecimento, isso é bem é pior nos bairros mais altos da cidade. Acho que controle deve ser feito por horários. Tem vez que falta água pela tarde, tem vez que falta de dia”, disse Edilange Soares, atendente de farmácia e moradora de São João do Rio do Peixe.

Em algumas cidades do Brejo, a situação é a mesma do Sertão. No município de Belém, a 123 km de João Pessoa, falta água durante todo o fim de semana e o abastecimento só vem ser restabelecido no período da noite da segunda-feira. E de forma lenta. Durante a semana, falta água por várias horas do dia e a população além de prejudicada com a situação, sente falta de um cronograma da Cagepa, que não avisa os horários em que voltará a abastecer as residências.

“Eu possuo caixa d’água em minha casa e consigo me virar, mas na casa de minha mãe, que não tem caixa, a situação é complicada. Ela tem que armazenar água em baldes e a Cagepa nunca avisa quando a água vai voltar, então não dá pra se preparar. Espero que seja feita uma limpeza na barragem Lagoa do Matias, que abastece a cidade e outros municípios, pois acredito que o mato deve atrapalhar no abastecimento. Se a barragem fosse apenas para Belém, acho que o problema era menor”, explicou a moradora Erica Rangeneide, comerciante da cidade.

Os moradores de Esperança, no Brejo, localizada a 157 km da Capital paraibana, a situação é mais crítica. Eles reclamam que não há mais água de forma alguma nas torneiras, forçando a população a compra-la para uso em suas atividades diárias.

A atendente de farmácia Sandra Santos explicou a situação que está ocorrendo no município. Os moradores esperam que o poder público tome providências na região, com construções de adutoras, para que o problema seja solucionado. “Aqui na cidade não existe mais água na torneira, a situação é essa, quem quiser ter água em casa, tem que comprar de carros pipa. A barragem de Vaca Brava, que abastece a cidade, secou não tem de onde tirar água. Nós temos que esperar alguma movimentação dos políticos, para que construam uma adutora na região e quem sabe assim os problemas sejam solucionados. Mas no momento, a única coisa que podemos fazer é rezar e pedir a Deus que mande chuva”, disse.

O presidente da Cagepa, Deusdete Queiroga, garantiu que adutoras já estão sendo construídas na região do Brejo. Algumas delas, segundo ele, estão em fase final da obra.

Situação dos açudes

De acordo com a Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado (Aesa), 11 açudes da Paraíba estão com menos de 1% do seu volume total. Alguns chegam ao percentual de 0%, como é caso dos reservatórios Bichinho (situado no município de Barra de São Miguel), Pocinhos (Monteiro), Santa Luzia (Santa Luzia), Serrote (Monteiro), São José 4 (São José do Sabugi) e Taperoá 2 (Taperoá).

Já os açudes Bom Jesus (Carrapateira), Campos (Caraúbas), Covão (Areial), Emídio (Montadas) e Lagoa do Meio (Taperoá) apresentam volumes que variam entre 0,2% e 0,9%. Segundo a Aesa, aParaíba possui ainda outros 13 açudes em estado crítico. Atualmente, eles têm volumes totais que variam entre 1,4% e 4,5%.

Ainda de acordo a Agência, 36 reservatórios estão em observação, uma vez que menos de 20% da sua capacidade está abastecido. Dentre eles, oito estão com menos de 10% de seu volume total: Milhão (Puxinanã), com 5,3%; Ouro Velho (Ouro Velho), com 5,6%; Novo 2 (Tavares), com 6,9%; Carneiro (Jericó), com 7,1%; Namorado (São João do Cariri), com 7,4%; Manguape (São Sebastião Lagoa de Roça), com 8,2%; Escondido (Belém do Brejo do Cruz), com 9,3%; e Jandaia (Bananeiras), com 9,6%.
Learn more »

Juazeirinho: Hospital permanece Municipalizado pedido de revogação foi arquivado

A novela da Municipalização do Hospital de Juazeirinho chegou ao fim ao que parece, na última quinta-feira (21) de Agosto em sessão ordinária na câmara de vereadores o relator do PL e presidente da comissão de constituição e Justiça Jorge Ramos deu o parecer sobre o pedido de revogação da Lei. 

Learn more »